quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Passagem

Se mais tarde alguém beijar-te, repare que o pensamento ninguém te rouba.
Repare que as cinzas pintaram o céu.
Se deitares à toa, à tarde, desliga-te do real e recria o teu.
E na volta, satisfeito, anuncia não o que sucedeu.

Se não sobrar peso e umidade, não fale de alma.
Se não for sobre falta de espaço, não fale de coração.
E não esqueça dos dias que faltam,
Nem das faltas e filmes da outra estação.

Se na madrugada mansa ainda não me lembrar,
deita no peito do mundo e descansa.
Volta! Que nem uma boa lembrança
é melhor que o aconchegar.

(Lara Farias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário